Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Jornalismo levado a sério!

Erica

Açougues Angélica

João Guilherme Materiais Para Construção

PREFEITURA MUNICIPAL DE POÇÕES

Share Button

JÁ ESTÁ A VENDA INGRESSO DO MAIOR SÃO JOÃO DA REGIÃO SÃO JOÃO DO GUTÃO VENDAS NO POSTO DE GASOLINA SANTA LUZIA CENTRO DA CIDADE

Share Button

DIA 28 DE MAIO 2017 EM POÇÕES -BA DAS 9 AS 16 HORAS

Share Button

DIA

3 DE JUNHO RUPIA FEST A FESTA NA FESTA DO DIVINO

Share Button

Carreta carregada de produtos químicos pega fogo agora pouco na BR 116 trecho que liga Manoel Vitorino a Poções. Trecho conhecido “duas irmãs”

Share Button

[POÇOES24HS]

[POÇOES24HS]

OPERAÇÃO EMPACTO ;PMBA / CPRSO / 79ª CIPM – POÇÕES dia 27/05/17

Share Button

Por volta das 11h00min. deu-se início a OPERAÇÃO BLITZ TODOS OS DIAS, realizada em conjunto com as guarnições do 1º Pel / PM e PETO, no Centro da cidade e ruas adjacentes, onde foram apreendidos os menores, R S N, residente no Bairro Lagoa Grande e, Í A S, ambos com 17 anos de idade, os quais foram flagrados fazendo uso de forma compartilhada de substância entorpecente análoga a maconha, com os referidos foi apreendida uma bicicleta e duas petecas da mesma substância                                                                  . Operação finalizada por volta das 12h20min. com os seguintes resultados:                                                                                                               75 PESSOAS ABO ABORDADAS;
14 ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS ABORDADOS;
18 VEÍCULOS DE QUATRO RODAS ABORDADOS;
26 VEÍCULOS DE DUAS RODAS ABORDADOS;
DOIS MENORES APREENDIDOS;
UMA BICICLETA APREENDIDA e
DUAS PETECAS DE MACONHA APREENDIDAS.

O que acontece se Temer sair da Presidência? Renúncia, impeachment, cassação pelo TSE e afastamento por crime comum – o que aconteceria com o presidente e o cargo que ocupa em cada situação

Share Button

As revelações da delação premiada do empresário Joesley Batista abalaram o governo do presidente Michel Temer (PMDB) e abriram a possibilidade de que ele não termine o mandato herdado da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) após o impeachment. Com base no depoimento de Joesley, a Procuradoria-Geral da República (PGR) acusou o presidente de corrupção passiva, obstrução de Justiça e pertencimento a organização criminosa.

Defendido por ministros e travando uma batalha jurídica, Temer ainda não está fora de jogo. O presidente diz que fica e tenta articular a base aliada para reagir às pressões e retomar a agenda de votações – conta com a adesão de aliados que apoiam as reformas econômicas independentemente dele, para passar a impressão de normalidade e, com isso, afastar o fantasma da crise.

Temer nunca gozou de altos índices de popularidade. Desde que assumiu, pouco superou os índices pífios de apoio popular da antecessora, Dilma. No entanto, a peça-chave de seu governo é, desde o primeiro dia, o apoio de uma ampla base aliada, que esmagava a oposição e aprovava medidas difíceis, da PEC do Teto de Gastos até a reforma do ensino médio.

A crise política comprometeu a imagem de Temer faltando um ano e cinco meses para as eleições diretas, na qual os políticos que hoje apoiam o presidente precisarão, em sua maioria, voltar às urnas para renovar seus mandatos. Até a divulgação da gravação envolvendo o peemedebista, o governo dava sinais de solidez e força política, conseguindo convencer parlamentares a votarem junto com a base mesmo com a impopularidade do presidente.

Eliseu Padilha e Moreira Franco: ex-ministros de Dilma Rousseff e ministros fortes de Temer (Pedro Ladeira/Folhapress)

É aí que parece estar o fio de esperança para que o governo se salve e continue até dezembro de 2018. As próximas votações no Congresso tendem a ser essenciais no esforço de convencer que Temer tem as condições para agregar a base e seguir com os projetos encaminhados. A aderência de partidos como o PSDB, o DEM e o PPS às reformas econômicas é um ponto a favor, uma vez que esses partidos tendem a apoiá-lo mesmo ainda receosos quanto a sua permanência. Por outro lado, parlamentares que temem ser penalizados pelos eleitores podem não querer arriscar seu nome em defesa de um governo sob suspeita.

Caso o cargo de presidente da República fique vago, há atualmente quatro cenários possíveis, em maior ou menor grau: renúncia de Temer, cassação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), impeachment pelo Congresso ou afastamento pela Justiça por crime comum. Veja o que pode ocorrer em cada uma dessas cinco situações:


RENÚNCIA

Desde a quinta-feira, quando fez o seu primeiro pronunciamento público após as revelações do escândalo da JBS, Temer tem reiterado que não renuncia ao cargo e que tem condições de recompor o apoio de sua base política e retomar a sua agenda de reformas econômicas no Congresso. Até os aliados mais próximos concordam, no entanto, que uma eventual saída do PSDB e do DEM representaria o fim político da gestão. Por enquanto, apenas o PSB anunciou a saída da base.

Presidente Michel Temer faz pronunciamento após delação da JBS

“Não renunciarei” – Presidente Michel Temer faz pronunciamento após delação da JBS (Evaristo Sá/AFP)

O que acontece: Caso fique de fato sem saída e renuncie, Temer será substituído interinamente pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que terá de convocar em até 30 dias eleições indiretas, por meio do Congresso Nacional, para a escolha do sucessor. A Constituição só prevê eleições diretas caso o cargo fique vago nos primeiros dois anos do mandato.

A  Carta Magna diz que essa votação deveria ocorrer “na forma da lei”, mas não há uma legislação atual que esclareça os detalhes desse procedimento. Resquício da ditadura militar, uma norma de 1964 prevê que a sessão de eleição deve ser comandada pelo presidente do Senado, hoje Eunício Oliveira (PMDB-CE), e que os 594 congressistas – 513 deputados e 81 senadores – votem de forma secreta. O paralelo é com a Lei do Impeachment, norma de 1950 que também não foi atualizada após a Constituição de 1988. Em casos como esses, cabe ao STF especificar as regras do pleito.

Uma das principais questões que se colocam é: afinal, quem poderia ser candidato?. O entendimento padrão da Constituição é que brasileiros, maiores de 35 anos, filiados a partidos políticos há pelo menos um ano e desincompatibilizados de cargos anteriores são elegíveis para serem presidentes. Isso excluiria, por exemplo, nomes cotados como a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, e o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB)porque não teriam deixado o cargo a tempo. Existem questionamentos se seria possível abrir uma exceção para o caso de eleições presidenciais indiretas.

Quem defende: PSB (que deixou a base de Temer após a revelação do escândalo) e personalidades públicas como o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa. Senadores de perfil mais independente, como Álvaro Dias (PV-PR), Cristovam Buarque (PPS-DF) e Ronaldo Caiado (DEM-GO), também afirmaram que o ideal seria que o presidente deixasse o cargo por iniciativa própria. Líderes da esquerda, a exemplo de Lindbergh Farias (PT-RJ), engrossam o coro, mas ressaltando que deve ser aprovada, também, uma emenda para eleições diretas.

Em quanto tempo Temer sairia: Imediatamente

(VEJA/VEJA.com)


CASSAÇÃO PELO TSE

Outro cenário que pode levar às eleições indiretas é a cassação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder econômico nas eleições de 2014. O julgamento recomeça no dia 6 de junho, mas pode ser suspenso se qualquer ministro optar por pedir vistas. Apesar de ser um processo eleitoral, o presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes, já declarou em abril que o tribunal inevitavelmente consideraria o impacto político de suas decisões. E a interpretação de lideranças da oposição é que o escândalo envolvendo Temer enfraqueceu o argumento de que a sua permanência é uma garantia para a estabilidade do país.

Julgamento chapa Dilma-Temer no TSE

Sessão de julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do processo movido pelo PSDB contra a chapa Dilma-Temer, relativo às eleições de 2014 – 04/04/2017 (Roberto Jayme/Ascom/TSE)

O que acontece: Em caso de cassação da coligação formada por Temer e Dilma em 2014, há uma disputa jurídica sobre a realização de eleições diretas (uma vez que invalidaria o resultado da disputa daquele ano) ou indiretas, com uma ação ainda em discussão no STF. Inédita, a situação abre a possibilidade para uma disputa de recursos ao Supremo e tentativas de afastar o presidente dos delitos possivelmente cometidos pela campanha da cabeça-de-chapa, em busca de uma punição mais leve que não envolva a perda do cargo.

Quem defende: Essa hipótese é prioritária para a ex-senadora Marina Silva (Rede), que defende desde 2015 a tese de que a campanha de Dilma, da qual Temer era vice, cometeu abuso de poder econômico na disputa presidencial. No entanto, a possibilidade de que o presidente possa seguir resistindo à renúncia pode fazer com que outros setores abracem à causa, como os defensores das eleições diretas (já que o STF ainda não encerrou a possibilidade de que elas ocorram nesse cenário)

Quando Temer sairia: entre 11 e 584 dias, a depender dos pedidos de vista e de possíveis recursos.

(VEJA/VEJA.com)


IMPEACHMENT

Dezessete pedidos de impeachment foram apresentados à Câmara até sexta-feira. Um, em especial, foi apresentado na quinta-feira pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Para que se inicie um processo do tipo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ0, deve aceitar o pedido e instaurar uma comissão, em uma sequência semelhante ao processo que impediu Dilma. Aliado de Temer, Maia é acusado por opositores de engavetar os pedidos contra o presidente. Ele nega: “eu não posso avaliar uma questão tão grave como essa num drive-thru. Não é assim, não é desse jeito. Quanto tempo não se discutiu aqui a crise do governo Dilma? Então, nós temos de ter paciência”.

O que acontece: Aceito por Maia e com relatório favorável aprovado em comissão, o pedido vai ao plenário da Câmara. Se também aceito, o Senado é instado a também instalar uma comissão e prosseguir com a análise da acusação apresentada. Se um relatório a favor do impedimento for aprovado, em plenário, por dois terços dos senadores, Temer é afastado. Maia assume interinamente até a conclusão do julgamento, quando, sendo Temer condenado, se sucederia a votação indireta.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem nas mãos o poder de aceitar ou não os pedidos de impeachment contra Temer – e substituí-lo interinamente caso algum seja bem-sucedido – 04/04/2017 (LUIS MACEDO/Câmara dos Deputados)

Quem defende: Encaminharam pedidos à Câmara os deputados federais Alessandro Molon (Rede-RJ), João Gualberto (PSDB-BA), JHC (PSB-AL), Diego Garcia (PHS-MG) e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Além do pedido feito pela OAB, considerado o mais importante e concreto, outro que se destaca é o encabeçado pela advogada Beatriz Vargas, um reúne partidos de esquerda como PT, PCdoB, PSOL, Rede e PDT.

Quando Temer sairia: o processo por crime de responsabilidade envolve diversas fases processuais e pode variar de acordo com a quantidade de testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa, bem como recursos protelatórios e a quantidade semanal de sessões nas Casas legislativas. Entre a instalação da comissão especial na Câmara e o julgamento, o processo que condenou Dilma teve duração de pouco mais de cinco meses.

(VEJA/VEJA.com)


INQUÉRITO NO STF

Por fim, a delação do empresário Joesley Batista levou à abertura de um inquérito contra Temer no STF. Até então, o presidente não era investigado na Justiça por ter imunidade, como chefe de estado, em relação a crimes que não têm ligação com o mandato. Como a gravação do dono da JBS ocorreu em março deste ano, o ministro Edson Fachin pôde aceitar o pedido de abertura de investigação feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O que acontece: Se a investigação for concluída com um pedido de denúncia da PGR, este vai para a Câmara dos Deputados. Se dois terços dos parlamentares aprovarem, ela é encaminhada para a avaliação do relator no Supremo, o próprio Fachin. Por fim, se ele decidir aceitar a denúncia, Temer vira réu e é afastado automaticamente do cargo até a conclusão do processo.

O ministro Edson Fachin

O ministro Edson Fachin durante sessão do Supremo Tribunal Federal, em Brasília (DF) – 18/05/2017 (Andressa Anholete/AFP)

Quem defende: A hipótese é pouco comentada pelas principais forças políticas, por ser complexa. Depende da conclusão do inquérito, da oferta da denúncia e da aceitação desta pela Câmara e por Fachin. Quem já disse que esse pode ser um caminho é a advogada Janaína Paschoal, uma das autoras do pedido de impeachment de Dilma. Janaína também trata como uma última opção, uma vez que tem falado da renúncia e, como conselheira da OAB-SP, votou a favor do pedido de impeachment.

Quando Temer sairia: isso dependeria do prazo necessário para que a PGR conclua as apurações e ofereça, ou não, denúncia contra o presidente. Para isso, dois terços da Câmara dos Deputados precisam autorizar e o Fachin,  recebê-la. Não há prazo pré-definido para os procedimentos.

(VEJA/VEJA.com)

Rodrigo Rocha Loures negocia delação

Share Button

No médio prazo, o destino do presidente está atrelado a outra figura. Rodrigo Rocha Loures, de fato, iniciou negociações para uma delação.

Entre outras revelações, Rocha Loures pode contar sua atuação em favor do Grupo Rodrimar, alvo de buscas da PF, na área de Portos. No governo Dilma, ele usava o nome de Temer para defender interesses dessa empresa.

Secretaria oferta 16.400 vagas para o pré-vestibular Universidade para Todos

Share Button

Palavras-chave:

Foto: Roberta Rodrigues – Ascom/IAT

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou, neste sábado (27), o edital para o curso Universidade Para Todos (UPT). Estão sendo ofertas 16.400 vagas. As aulas, preparatórias para o vestibular e para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), são realizadas em Salvador e mais 228 localidades do Estado da Bahia, em 27 Territórios de Identidade. A ação é desenvolvida em parceria com as universidades estaduais UNEB, UEFS, UESB e UESC. As inscrições serão realizadas no período de 1º a 8 de junho, exclusivamente, no Portal da Educação.

“Esta é mais uma iniciativa adotada pela Secretaria que oportuniza aos estudantes a preparação para o ingresso no Ensino Superior. Tanto que podem participar, os egressos das redes públicas estadual e municipal e, também, os estudantes do 3º ano do Ensino Médio ou do 4º ano da Educação Profissional. Além disso, vale destacar a parceria com as nossas universidades estaduais”, afirma o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.
Poderá concorrer a uma vaga o candidato que for egresso do Ensino Médio das redes estadual ou municipal do Estado da Bahia. Também podem concorrer estudantes das redes públicas estadual ou municipal matriculados, em 2017, nas seguintes situações:  3º ano do Ensino Médio Regular ou suas modalidades correspondes, do 4º ano da Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio ou suas modalidades correspondentes. Todos estes estudantes precisam ter concluído o Ensino Fundamental II (5ª à 8ª séries, atual 6º ao 9º ano ou modalidades correspondentes), e a 1ª e 2ª séries do Ensino Médio Regular ou modalidades correspondentes nas redes estadual ou municipal no Estado da Bahia.
Matrícula
A seleção é feita através das médias de Português e de Matemática que são lançadas pelo candidato no ato da inscrição e conferidas no ato da matrícula. A matrícula será realizada entre os dias 3 a 7 de julho, no local e turno que o aluno optou para estudar. Para se matricular, é preciso apresentar cópia e original do CPF, RG, comprovante de residência, além do Histórico Escolar do Ensino Médio e do Ensino Fundamental II. As aulas começam no dia 3 de julho e vão até dezembro de 2017.
Mais sobre o UPT
O UPT oferece aulas regulares, de segunda a sexta-feira, de Português, Redação, Matemática, Física, Química, Biologia, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), História e Geografia, além de atividades complementares como seminários, oficinas, revisão para o ENEM, aulões, simulados e orientação vocacional. O curso oferece, ainda, material didático, fardamento e isenção da taxa de inscrição em processo seletivo das universidades estaduais aos alunos que apresentarem frequência igual ou superior a 75% das aulas ministradas.
Em caso de dúvidas:
Ligue: 0800 285 8000 ou escreva: upt@educacao.ba.gov.br

Lava-Jato mira em Gilmar Mendes

Share Button

A varredura a um dos endereços de Aécio Neves em Minas não mirou só no tucano. A Lava-Jato procurava informações sobre Gilmar Mendes.  Os agentes tinham ordens explícitas com o nome do ministro.

No grampo realizado nos números de telefone de Aécio Neves, o ministro Gilmar aparece em conversa com o senador tucano. Os dois falam sobre o projeto de lei sobre o abuso de autoridade.

Na transcrição dos diálogos, Aécio pede ajuda ao ministro para conquistar um voto na comissão do Senado que analisava o projeto.

Aliás, cabe a Gilmar Mendes, mais do que nunca, o destino a curto prazo de Michel Temer. Nada acontecerá no TSE, no dia 6 de junho, que não seja o desejo do ministro do STF.

O VEREADOR CARECA E LEORDINO ESTIVERAM EM SALVADOR ESSA SEMANA QUE PASSOU COM O DEPUTADO ESTADUAL FABRICO QUE COMO SEMPRE VEM AJUDANDO A CIDADE DE POÇÕES-BAHIA

Share Button

ESSA SEMANA QUE PASSOU O VEREADOR CARECA JUNTAMENTE COM O VEREADOR LEORDINOFORAM A SALVADOR ONDE FORAM RECEBIDO PELO DEPUTADO ESTADUAL QUE CONSEGUIU ALGUMAS COISAS PARA POÇÕES COMO ESPORTE ITINERANTE QUE PASSA NOS BAIRROS TRAZENDO ESPORTE CULTURA E LAZER E O DEPUTADO FABRÍCIO CONSEGUIU PARA A CIDADE ALGUNS BENEFÍCIOS DIRETAMENTE PARA OS PRESIDENTE DE BAIRROS QUE SERA APRESENTADO PELO OS VEREADORES AINDA ESTIVERAM NA SUDESB COM ELIAS DOURADO PARA FAZER A PARCERIA NO ESPORTE E LAZER PARABÉNS AO DEPUTADO FABRÍCIO QUE SEMPRE VEM AJUDANDO A CIDADE DE POÇÕES COMO OUTRAS CIDADES

INFORMATIVO-PT DE POÇÕES COMEMORA 32 ANOS DE FUNDAÇÃO

Share Button

Fundado em 19.05.1985, o Partido dos Trabalhadores de Poções, festeja este mês, os seus 32 anos de atuação política no município de Poções. O partido nasceu em meio às organizações de trabalhadores, jovens, sindicatos, associações, e movimentos da Igreja Católica e, sua atuação, sempre esteve voltada para a defesa dos interesses da população. Apesar das dificuldades e perseguições, seus militantes nunca desistiram do sonho de um dia construir uma sociedade mais justa, mais humana e mais fraterna.
Aqui em Poções contribuímos em 2002, com a eleição do primeiro presidente oriundo da classe trabalhadora. Apesar das dúvidas que muitas pessoas tinham na época; Lula é considerado um dos melhores presidentes da história do Brasil; pois, com o seu jeito simples de governar, fez muito para quem mais precisava, e em 2006, na Bahia, o PT de Poções ajudou na eleição do governador wagner, apesar das dificuldades encontradas pelo governo Wagner, é visível as mudanças que a Bahia vem passando.

Ao longo de todos estes anos, o PT se fez presente na Câmara de Vereadores com Antônio Ferreira, Bonfim, Manoel da Caixa , Toninho, Zezel , Laudelino e Edson Meira; também nas eleições municipais de 2012, ajudamos eleger a chapa do governo do governo Construindo uma Nova História ,onde tivemos como vice-prefeito, o companheiro João Bonfim , e onde ocupamos as secretárias de Administração e Educação, além de vários companheiros e companheiras a frente de diversos órgãos importantes no governo municipal, contribuído muito para que o PT de Poções continue lutando por dias melhores para o nosso povo.
Hoje na nova conjuntura política do município, continuamos na luta, para que o Povo de Poções, continue sonhando e acreditando, que é possível construirmos uma cidade para todos os Poçõense.

Parabéns a toda companheirada que ajudaram e continuam ajudando a construir esta história!
A luta continua!

CONFIRA A RELAÇÃO DOS EX-PRESIDENTES DO PT DE POÇÕES:
– Dudu (Homenagem póstuma) – presidente de 1985
– João Bonfim – presidente de 1990/1995/1999
– Ferreira – presidente de 1992
– Obede Venâncio(Homenagem póstuma) – presidente de 1994
– Maria Geane – presidente de 1997
– Edson Meira – presidente de 2000
– Manoel da Caixa- presidente de 2001/2004
– Rogério Braga – presidente de 2005/2007
– Marcelo Cardoso Santos 2009/2013
– Carlos Giovani Dias Macêdo 2014/2016.
-João Bonfim Cardoso Cerqueira- presidente atual(2017/2020)

hoje dia 26 de Maio começou as novenas da igreja católica que antecedem a grande festa do divino de POÇÕES -BA [IMAGENS AÉREAS FEITAS PELO POÇÕES24HS NESSA LINDA NOITE]

Share Button

[FOTOPOÇOES24HS]

Bacharel em direito flagrado em vídeos agredindo mãe de 84 anos é preso

Share Button

Bacharel em direito flagrado em vídeos agredindo mãe de 84 anos é preso

Foto: Reprodução/ YouTube

Flagrado em uma série de vídeos agredindo a própria mãe, uma idosa de 84 anos, o bacharel em direito Roberto Elísio Coutinho foi preso na manhã desta sexta-feira (26) em uma residência no município de Raposo, na Região Metropolitana de São Luís (MA). De acordo com informações do G1, o homem estava desaparecido desde a noite de quinta (25), após os vídeos com as agressões ganharem grande repercussão nas redes sociais. As filmagens foram realizadas pela companheira do agressor, que não teve o nome divulgado. A prisão preventiva do homem foi pedida pelo promotor de Justiça de Defesa do Idoso, José Augusto Cutrim. A idosa foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML), onde foi submetida a exames. Em um dos vídeos, o filho manda a idosa calar a boca e chega até a ameaçá-la com agressões físicas nas regiões da cabeça e do rosto. “Cala a boca! Cala a boca! Cala a boca! Se tu abrir a boca de novo eu vou dar na tua cara e dou na tua cabeça pra tu desmaiar”.Em outro vídeo, Roberto diz à mãe que os familiares não aceitam mais a sua presença na casa e intimida a idosa dizendo que colocará uma mordaça nela. “Cala a boca! Ou tu fica internada, ou tu fica calada! Eu te falei, tu tá insuportável, mamãe! Ninguém te aguenta, ninguém te aguenta! Mamãe cala a boca! Se eu não eu vou colocar uma mordaça! Isso não pode, a senhora tá insuportável! Cala a boca mamãe! Eu vou te internar é hoje! Cala a boca! Que eu vou dar um murro na tua cara!”. Veja o vídeo abaixo: