Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Monthly Archives: maio 2016

MAIS UM CARRO FORTE EXPLODIDO POR BANDIDOS. DESSA VEZ NA DIVISA DO PARÁ. 20 MILHÕES FORAM LEVADOS

Share Button

blob:https%3A//web.whatsapp.com/6a5d92d3-9f3a-4d8e-a0c3-5432c1617c75Fotos: PC

Bandidos explodem carro-forte na PA-150
Após o uso de explosivos o carro-forte ficou totalmente destruído. Os assaltantes levaram todo o dinheiro que estav sendo transportado.
Um bando usando uma caminhonete branca praticou um assalto cinematográfico na rodovia PA-150, entre os municípios de Moju e Tailândia, próximo à comunidade do Turiaçu, interceptando um carro de transportes de valores da empresa Prossegur que fazia uma viagem de rotina levando dinheiro para agências bancárias na região da PA-150.

Os indícios da ação criminosa do bando estavam espalhados por toda parte do carro-forte, que transportava dinheiro para o município de Tailândia e ficou totalmente destruído com a explosão provocada pelos assaltantes.

Para se ter uma ideia do tamanho da explosão, a porta e o teto do carro-forte da Prossegur foram arremessados para longe em um raio de 20 metros, deixando destruição e medo para os funcionários que estavam no veículo. Segundo a empresa de transporte de valores cerca de 20 milhões de reais foi roubado186b853e-dc72-4aea-a89e-644d316fc7bb1e77196b-fbf8-4195-98c7-4838e03d9d20

Big Brother do golpe: no domingo, um ministro vai pro paredão. Na segunda rola eliminação.

Share Button

POÇOES24HS.COM.BR

Share Button

Senado aprova pena mais rigorosa para os crimes de estupro coletivo Proposta é uma resposta do Senado ao caso de estupro coletivo no Rio. Projeto ainda precisa ser analisado pela Câmara dos Deputados.

Share Button

O Senado aprovou nesta terça-feira (31) um projeto de lei que prevê pena mais rigorosa para os crimes de estupro praticados por mais de duas pessoas. A proposta, além de agravar a punição, tipifica o crime de estupro coletivo que, atualmente, não é previsto no Código Penal brasileiro. O texto ainda precisará ser analisado pela Câmara dos Deputados.

Atualmente, o crime de estupro praticado por uma pessoa tem pena prevista de 6 a 10 anos de prisão. Nos casos de estupro de vulnerável, quando o crime é praticado contra uma criança de até 14 anos, a pena prevista é de até 15 anos de reclusão. Pela proposta aprovada, caso o crime seja cometido por duas ou mais pessoas, a pena será aumentada de um terço a dois terços, o que poderia totalizar até 25 anos de prisão, nos casos de estupro de vulnerável.

 

ESTUPRO COLETIVO

Há ainda a possibilidade de a pena ser aumentada caso a vítima do estupro morra após o crime – podendo chegar a 30 anos de prisão, de acordo com o projeto.

O MEDO DOS ADVERSÁRIO DE OTTO TA VISÍVEL FALANDO MENTIRAS PAGANDO MEIO DE COMUNICAÇÃO PARA MENTIREM MAIS AS URNAS TÁ AI VAMOS VER

Share Button
PRA MIM SOU APENAS UM REPÓRTER QUEM DECIDE É O POVO SE A PROVARAM O GOVERNO FICA SE NÃO SAI MESMA COISA ACONTECE COM VEREADORES PODE TER CERTEZA NÃO USAREI MEU SITE PARA MENTIR TRABALHO COM A JUSTIÇA ATÉ O MOMENTO ESTAMOS VIVENDO DE MENTIRAS NÃO SÓ AQUI PAIS INTEIRO A FAMOSA POLITICAGEM MENTIRAS, 2 DE OUTUBRO SABEREMOS QUEM SAI QUEM FICA SÓ PEÇO PARA PESSOAS FICAREM ATENTAS COM ESSAS MANIPULAÇÕES DE POLÍTICOS E DE MEIO DE COMUNICAÇÃO QUE INFELIZMENTE NÃO FAZEM SEU PAPEL SE VENDE A POLÍTICOS PARA MENTIREM E MANIPULAR  O POVO PARA SE BENEFICIAREM A SI MESMO

Imprensa erra: governo FHC continua sendo o campeão de desemprego

Share Button

classificados

Taxa de desocupação era de 12,6% em 2002 ao passo que em 2016 esse percentual é de 8,2%“Desemprego atinge 11,4 milhões de pessoas”. Foi com essa informação desesperançosa que o Brasil começou esta terça-feira 31. Mas antes que o receio de entrar para essa estatística tome de sobressalto a população é importante esclarecer que esse número foi supervalorizado ao gosto da nossa imprensa tupiniquim adepta ao modelo “quanto pior, melhor”.

A verdade irrefutável é que o governo Fernando Henrique Cardoso foi e continua sendo o campeão em desempregados, com uma taxa de desocupação de 12,6% em 2002 ao passo que em 2016 esse percentual é de 8,2%, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego divulgada pela última vez em março.

O que os dados divulgados hoje como parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram claramente é que houve queda em empregos formais. Aproximadamente 1,5 milhão de pessoas ficaram sem carteira assinada em um ano. Este é sim um número a ser lamentado, mas muito longe da instabilidade causada pelo número repetido nas manchetes.

Os tais 11,4 milhões de desempregados referem-se à estimativa feita com base em pessoas que não têm trabalho e procuraram algum nos 30 dias anteriores à semana em que os dados foram coletados. Ou seja, esse número contempla pessoas que nunca trabalharam, como jovens que estão atrás do primeiro emprego, ou que estavam afastadas do mercado de trabalho, como trabalhadores que decidiram parar de trabalhar para estudar ou cuidar da família, por exemplo.

Ademais, a pesquisa existe em um intervalo muito pequeno: apenas quatro anos. Começou a ser feita em 2012. O que quer dizer que ela só compara o governo Dilma Rousseff com o governo Dilma Rousseff. O que tonar ainda mais ridículos os títulos que trazem a palavra “recorde”.

GENTE TO CANSADO DE DESMENTIR CERTAS MÍDIAS PICARETAS PRIMEIRO DR OTTO E CANDIDATO A REELEIÇÃO SEGUNDO TCM E MPF ESSE MÊS SOLTA A LISTA DOS FICHA SUJA AI VEREMOS GUEM É FICHA SUJA

Share Button

IMG_3701

Ministro da Saúde leva família em vez de técnicos à Assembleia Mundial da Saúde e causa revolta Diretores do Ministério pediram demissão nesta segunda-feira

Share Button

Com duras críticas à gestão de Ricardo Barros no Ministério da Saúde, o diretor do Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), Aids e Hepatites Virais, Fábio Mesquita, deixou o cargo. Em carta aberta, ele enumera uma série de fatores que teriam pesado na decisão de sair do posto que ocupava nos últimos três anos e questiona, inclusive, a presença da vice-governadora Cida Borghetti, esposa de Barros, entre os representantes brasileiros da Assembleia Mundial de Saúde, que aconteceu na Suíça na semana passada. As assessorias da vice-governadora e do ministério informaram que a viagem de Cida foi custeada com recursos próprios, sem uso de dinheiro público.

Mesquita havia sido mantido no cargo na transição entre o governo Dilma e Temer e questionou a competência a nomeação de Barros. Em entrevista à Gazeta do Povo, disse que o novo ministro, no cargo há duas semanas, não tem conhecimento da área. “É um engenheiro, sem nenhuma relação com a saúde, apesar de ter sido gestor público, como prefeito”, comenta. Mesquita acrescenta que não é a primeira vez que um profissional de outro setor comanda o ministério, mas vê particularidades na situação “Quando o José Serra assumiu, vindo do Planejamento, chegou pedindo aumento de recursos. Já o Barros entrou falando em cortes”, exemplifica.

Para o ex-diretor – que se formou em Medicina na Universidade Estadual de Londrina e atuou como gestor de saúde em municípios como Toledo e Campo Mourão na década de 70 e 80 –, o novo ministro enfraqueceu a área ao defender a diminuição do Sistema Único de Saúde (SUS). “Não é uma questão pessoal. Eu nem o conheço”, disse. Mesquita ainda comenta que, em meio a epidemias de dengue e zika, o ministério está sem ninguém ocupando o cargo de diretor de Doenças Infectocontagiosas.

Sobre o dilema entre permanecer no governo para continuar fazendo o trabalho que vinha desempenhando e “pular fora” alertando para rumos que considera equivocados, Mesquita escolheu a segunda saída. “Agora vou lutar pelas coisas que eu acredito do lado de fora”, diz. Ele trabalhou durante oito anos na Organização Mundial da Saúde (OMS) e pretende continuar atuando na área.

CAOS DA ERA TEMER JÁ VIRA VOTOS NO SENADO

Share Button

:

Começo turbulento do governo interino de Michel Temer, que já perdeu dois ministros em menos de vinte dias, Romero Jucá e Fabiano Silveira, ambos acusados de atuar nos bastidores contra a Lava Jato, já provoca reviravoltas no Senado; dois parlamentares que votaram pela admissibilidade do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, Romário (PSB-RJ) e Acir Gurgacz (PDT-RO), já admitem mudar seus votos; “Assim como questões políticas influenciaram muitos votos na primeira votação, todos esses novos fatos políticos irão influenciar também”, disse Romário; “Entendo que não há crime de responsabilidade fiscal por causa das pedaladas”, reforça Gurgacz; jogo pode estar começando a virar

Procurado pela polícia mantém mulher grávida em cárcere privado

Share Button

Um homem procurado pela polícia, por suspeita de crimes como roubo, assalto a banco e homicídio, manteve a mulher grávida em cárcere privado por mais de 19 horas na manhã desta terça-feira (31), em Porto de Sauípe, Litoral Norte da Bahia.

A vítima, uma jovem de 20 anos, que está no oitavo mês de gestação, foi liberada durante força-tarefa realizada pela polícia. Ela não sofreu ferimentos, mas, de acordo com a polícia, precisou ser levada para um hospital por conta da perda de líquido e por apresentar sangramentos por causa da gravidez. Não há informações sobre o estado de saúde dela e nem para onde ela foi encaminhada.

Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), a jovem mantida réfem tem passagens pela polícia por porte ilegal de armas e colete balístico. Ela será investigada por possível participação nos crimes do companheiro, informou a Secretaria.

Ação policial para libertar mulher grávida em Porto de Sauípe (Foto: G1 Bahia)Ação policial para libertar mulher grávida em Porto
de Sauípe (Foto: G1 Bahia)

O homem, identificado como, Juarez Nascimento dos Santos Júnior, 29 anos, e conhecido como Cipan, se entregou por volta das 10h30 e foi retirado em uma maca. O criminoso exigiu a presença da imprensa, de um advogado e de médicos antes de se render. Juarez foi levado para a Delegacia de Entre Rios, onde presta depoimento.

Fuga e cárcere
A polícia localizou o criminoso na segunda-feira (30), depois de uma investigação feita pelo serviço de inteligência, que durou cerca de dois anos. Quando a polícia chegou ao local para efetuar a prisão, o suspeito disparou contra os policiais e fugiu para dentro da casa. Ele foi ferido por um tiro na perna.

A residência onde o crime aconteceu fica em uma área com acesso por uma estrada de terra. Duas equipes do Samu ficaram a postos durante todo o trabalho da polícia. A ação envolveu, o Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) e outras equipes policiais especializadas.

Acesso ao local onde ocorreu o crime  (Foto: G1 Bahia)Acesso ao local onde ocorreu o crime
(Foto: G1 Bahia)

Segundo a polícia, a vítima começou a ser mantida em cárcere por volta das 16h de segunda-feira e a negociação com o criminoso começou cerca de duas horas e meia depois. Durante as conversas, o homem chegou a entregar uma das armas para os policiais.

Por volta das 10h30 desta terça, a mulher deixou a segunda arma do bandido na porta da casa e pediu que o advogado entrasse no local. A polícia, então, agiu e prendeu o criminoso.

Em nota, a SSP informou que o criminoso já foi condenado por tráfico de drogas e cumpria a pena regime aberto, benefício concedido em 2012. Conforme informou a SSP, nos últimos dois anos, Juarez foi responsável por diversos assaltos a bancos na Bahia.

Ele fazia parte de um quadrilha especializada no crime, que já atuou em cidades como Gandu, Tancredo Neves e Camumu. Também foram atribuídos a ele o sequestro de um empresário em Ipiaú e um assalto a uma agência dos Correios, em Grapiúna.

As duas pistolas apreendidas na ação foram encaminhadas para a Polícia Civil.

Criminoso deixou local em uma maca (Foto: G1 Bahia)Criminoso deixou local em uma maca (Foto: G1 Bahia)

 

Cárcere privado em Porto de Sauípe (Foto: G1 Bahia)Samu e PM estiveram no local para resgatar vítima (Foto: G1 Bahia)

 

Ação policial para libertar mulher grávida em Porto de Sauípe (Foto: G1 Bahia)Ação policial para libertar mulher grávida em Porto de Sauípe, Litoral Norte da Bahia (Foto: G1 Bahia)

Ação policial para libertar mulher grávida em Porto de Sauípe (Foto: G1 Bahia)Ação policial para libertar mulher grávida em Porto de Sauípe (Foto: G1 Bahia)