Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Daily Archives: 20/11/2016

GCM E POLICIA MILITAR DA BARRA DO CHOÇA PRENDE HOMICIDA

Share Button

15122938_1037181926407293_1731646797520190068_oNa madrugada de hoje dia 20 DE Novembro por volta 01:00 polícia foi informada do homicídio de Gilmar Almeida de Oliveira, e no local do crime foi encontrado um aparelho celular desbloqueado que foi examinado pela Dpc Gabriela Garrido que identificou o proprietário como sendo o indivíduo de vulgo BINHO, repassando a Autoridade a informação ao GM Ivan Antônio que localizou o indivíduo e o apresentou as 10:45h nesta Delegacia da Barra do Choca informando que localizou o indivíduo na Rua Maria José de Oliveira, Bela Vista; que foram localizadas duas armas e uma determinada quantidade de substâncias entorpecentes em poder deCLEBSON CAIRES DA SILVA vulgo Binho e ao ser interrogado o mesmo confessou ser de sua propriedade a garrucha, o revólver 38, com numeração raspada, municiado e com duas cápsulas deflagradas e a substância entorpecente encontrada no quintal da residência de sua genitora, onde o flagranteado reside. Informou não ser autor dos disparos que vitimaram Gilmar mas indicou como autor o indivíduo de nome Edilson, informando que cabia a ele apenas identificar os alvos e dar cobertura a Edilson que veio da Cidade de Vitória da Conquista para o crime. Informou que tal indivíduo possuía uma casa na cidade pois costumava vir abastecer a cidade de substância entorpecente para NEIDE e ANESIO, a mando de quem teria vindo para matar Jeovane, vulgo “ONE”, e os meninos que laboram para ele. Levou a polícia a casa onde Edilson estaria onde foi encontrada mais substância entorpecente e roupas sujas de sangue, informado que no ocorrido um indivíduo de nome CESAR que trabalha pra ONE pegou um revólver para defender Gilmar e acabou por ferir Edilson. Clebson ainda informou o endereço do elemento Edilson, onde a guarnição solicitou o apoio da PM e que ao chegarem a residência adentraram e não encontrou ninguém, apenas uma TV de marca PHilips e um aparelho de som de marca LG e 28 pedras semelhante a crack e 38 substância aparentemente cocaína e um tablete de substância aparentemente ser maconha e encontraram uma roupa sendo uma calça jeans e uma camiseta vermelha listrada, que supostamente foi usada pelo elemento Edilson na hora do homicídio; que na roupa tinha marcas de sangue e um furo na perna; Clebson informou que na hora do homicídio um indivíduo de prenome Cesar pegou uma arma de um indivíduo e atirou em Edilson; A Guarani da Pm diligenciou localizando e apresentando Cesar da Silva Gobira. Ambos foram flagranteados . De acordo com ocorrência de n° 1526/201615095554_1037181906407295_7826803468522420695_n15055767_1037181863073966_2370907386860497473_n

INDIVIDUO É MORTO AO TENTAR A TIRAR NA POLICIA NA CIDADE BARRA DO CHOÇA

Share Button

15073410_1037183256407160_4484975573579837390_nNa manhã de hoje do dia 20 de Novembro por volta das 08;00 durante o interrogatório de Clebson Caires da Silva ele relatou que em uma casa Branca com dois portões de madeira na sua rua estaria homiziado um oragos da polícia. A Autoridade Policial informou a guarnição da Polícia Militar que ao chegar a residência indicada encontrou a porta coincidentemente aberta, e, ao adentrar o indivíduo Lucas Silva Costa tentou atirar mas a arma “pisou”, ao que os Polícias Militares reagiram e o indivíduo, não obstante socorrido veio a óbito. Também foi encontrada na residência da resistência uma der quantidade de substância entorpecente

Política Conquistense: aumento salarial gera debate entre vereadores e se espalha pelas redes sociais; entenda o bafafá

Share Button
Fotos: BLOG DO ANDERSON
Fotos: BLOG DO ANDERSON

Qualquer situação envolvendo político agora é momento de protestos no Brasil. Uma das polêmicas que tem se repetido em diversos municípios é o aumento dos salários dos agentes públicos. Em Vitória da Conquista, por exemplo, quase todos os 21 vereadores eleitos nestas Eleições 2016 defendem uma chamada “atualização monetária”, ou seja, incrementar aos R$ 12.025,40 os índices inflacionais dos últimos quatro anos além da projeção para o próximo quadriênio, tendo em vista que a última mudança aconteceu em janeiro de 2013.

1-dsc_0048

Baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a correção para o último quadriênio está auferida em 31,59%, sendo assim os vencimentos dos edis saltariam para R$ 15.824,42. Os parlamentares negam articulação para o aumento, mas através das redes sociais ativistas se mobilizam para uma suposta reunião secreta para tratar desse assunto na próxima quarta-feira (23). “O que me surpreende é que quem comenta não se manifesta, quem comenta não se identifica.

É alguém que coloca no WhatsApp, coloca no Facebook. Já é a segunda, acho que uns vinte dias atrás colocaram um comentário dizendo que houve uma reunião secreta na Câmara para esse assunto. Isso não existe, isso não procede”, disse o vereador Sidney Benedito de Oliveira (PRB) que foi escolhido para ser o próximo vice-presidente do Legislativo Conquistense. “Salário de vereador quando tiver reajuste tem que ser colocado na Câmara em sessão que é aberta a população”, continuou. O Pastor Sidney disse ser contra a citada transição, mas tem outros nomes, como é o caso de Luciano Gomes Lisboa (PR) que diz claramente ser favorável a ampliação nos ordenados.

Chuva deixa avenidas alagadas e cancela eventos em Salvador San Martin e Paralela registraram alagamentos neste domingo (20). 1º ensaio do Harém, atividades no MAM e Magic Day foram cancelados

Share Button
Avenida San Martin, em Salvador, ficou alagada por causa da chuva (Foto: Lilian Marques/G1)Avenida San Martin, em Salvador, ficou alagada por causa da chuva (Foto: Lilian Marques/G1)

A chuva que cai em Salvador neste domingo (20) por causa de uma frente fria da região sudeste deixou avenidas alagadas e causou o cancelamento de diversos eventos na capital baiana. Na Avenida San Martin foi registrado alagamento em diversos pontos da via, assim como na Avenida Paralela, sentido aeroporto, onde bastante lama na pista causou retenção durante a manhã. Na rótula da feirinha, em Cajazeiras também houve alagamento.

Ainda por causa da chuva, alguns eventos em Salvador foram cancelados neste domingo. O primeiro ensaio do bloco Harém, de Alexandre Peixe, que seria realizado no Alto do Andu, na Avenida Paralela, neste domingo, foi cancelado. De acordo com a produção, a festa foi adiada para o dia 27 de novembro e as entradas adquiridas valem para o próximo ensaio. Quem preferir pode ter o valor ressarcido nos pontos de vendas.

O Magic Day, que começou no sábado (19), na região externa do Clube Espanhol, na Barra, em Salvador, também foi cancelado neste domingo. A programação que seria realizada das 9h às 19h, com apresentações de dança, shows, gastronomia, moda, diversão infantil, entre outras ações, foi cancelada devido à chuva e aos fortes ventos que danificaram a estrutura do evento. A nova data do segundo dia Magic Day ainda não foi definida pela organização.

As atividades previstas para este domingo no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) foram canceladas por causa da chuva. As atividades infantis ‘Contação’ que aconteceria no Pátio Flamboyant, das 14h às 16h, e a ‘Oficina de Abayomi’ que ocorreria das 14h às 17h na Galeria 3 serão remarcadas.

Magic Day seria realizado neste domingo, mas foi cancelado por causa da chuva (Foto: Divulgação)Magic Day seria neste domingo, mas foi
cancelado por causa da chuva (Foto: Divulgação)

Já o projeto ‘Pinte no MAM’ retoma as atividades no próximo domingo (27), às 15h, no Pátio Flamboyant, sob coordenação do artista plástico Maninho.

A apresentação do Trio MultiFaces (NEOJIBA) marcada para este domingo, às 16h, no Casarão do MAM-BA, está prevista para acontecer no dia 3 de dezembro, ainda a ser confirmada.

Os espaços expositivos permanecem abertos à visitação normalmente, das 13h às 18h, com entrada gratuita. Estão em cartaz as exposições ‘Caminhos’, do artista plástico Roddolfo Carvalho, na Galeria 3, ‘40 Anos de Linguagem Contemporânea no MAM’, no Casarão e ‘Hiperfotos’, de Jean-François Rauzier, na Capela, seguindo respectivamente até o dia 11 de dezembro, novembro de 2016 e 29 de janeiro de 2017.

Motoristas devem redobrar atenção ao trafegar pela região (Foto: Lilian Marques/G1)Motoristas devem redobrar atenção ao trafegar pela região (Foto: Lilian Marques/G1)

Jovem de 18 anos morre após bater motocicleta em outdoor na Bahia Caso ocorreu na noite do sábado (19), na cidade de Ilhéus, sul do estado. Estava chovendo no momento em que ocorreu o acidente, disse a PM.

Share Button
Jovem morreu após colidir com moto em outdoor no sul da Bahia (Foto: Reprodução/Facebook)Jovem morreu após colidir com moto em outdoor no sul da Bahia (Foto: Reprodução/Facebook)

Um jovem de 18 anos morreu na noite do sábado (19) após bater a motocicleta que pilotava em um outdoor, no município de Ilhéus, no sul da Bahia. As informações foram confirmadas pela Polícia Militar na manhã deste domingo (20).

De acordo com a PM, Ruan Santos da Cruz passava por uma curva, por volta das 21h, quando perdeu o controle do veículo e não conseguiu evitar o acidente. Ele morreu na hora. A polícia informou que chovia no momento em que ocorreu a batida.

Segundo a PM, o corpo do jovem foi levado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Ilhéus, onde foi periciado. Ele foi liberado no final da manhã deste domingo e está sendo velado pelos familiares e amigos. O sepultamento da vítima está previsto para ocorrer às 16h, no Cemitério do Pontal, localizado no bairro Nelson Costa.

Luto
Amigos do jovem usaram uma publicação dele em uma rede social para se despedir. A postagem feita pelo rapaz no dia 31 de outubro deste ano traz um verso da música “As Canções Que Você Fez Pra Mim”, composta por Roberto Carlos e Erasmo Carlos em 1968.

“Muito triste, vai deixa muitas saudades mano, fica com Deus”, disse um colega do jovem. “Que Deus bote sua alma em um bom lugar e que ele dê forças pra sua familia suporta essa dor horrível nesse momento, principalmente sua mãe… descance em paz…”, escreveu uma outra amiga da vítima.

Amigos usaram publicação do jovem em uma rede social para se despedir (Foto: Reprodução/Facebook)Amigos usaram publicação do jovem em uma rede social para se despedir (Foto: Reprodução/Facebook)

DIA 2O DE NOVEMBRO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA TRISTE QUE EM NOSSO PAIS O PRECONCEITO E A INTOLERÂNCIA AINDA SUPERA O POÇÕES24HORAS REPUDIA QUALQUER TIPO DE DESCRIMINAÇÃO

Share Button

d6969162-b2af-4baa-8e41-ad0bb3e57993

Terreiros de candomblé resistem à intolerância e promovem cultura afro Tombamento de templos é primeiro passo para preservação do patrimônio. Na Bahia, são dezenove terreiros tombados pelo IPAC e oito pelo IPHAN.

Share Button
Candomblé resiste à intolerância religiosa por meio da oralidade (Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)Candomblé resiste à intolerância religiosa por meio da oralidade (Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)

Entre batuques, atabaques e muito axé, os terreiros de candomblé resistem à intolerância religiosa. Em tempos de conservadorismo, a preservação cultural e histórica da religião afro-brasileira por meio dos tombamentos dos templos sagrados é um dos caminhos para manter vivo o candomblé. Neste domingo (20), quando é celebrado o Dia da Consciência Negra, a valorização da religião de matriz africana é imprescindível para perpetuação das práticas aprendidas com ancestrais, transmitida por meio da oralidade dentro dos espaços do povo de santo.

“O tombamento é a certeza de que, entra governo e sai governo, aquele patrimônio vai ser preservado. Vemos o tombamento como grande legado para nossa história. Queremos transformar nossos terreiros em pontos de cultura”, defende o presidente da Fundação Palmares, primeira instituição pública voltada para promoção e preservação da arte e da cultura afro-brasileira, criada pelo governo federal em agosto de 1988.

Tombamento de terreiros é imprescindível para preservação da cultura afro (Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)Tombamento de terreiros é imprescindível para
preservação da cultura afro
(Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)

Atualmente, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) é responsável pelo reconhecimento de terreiros com importância nacional. Já o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) atua apenas na esfera estadual. Em Salvador, a Lei de Preservação do Patrimônio Cultural do Município (8.550/2014) também tem a função de tombamento de terreiros, apenas na capital baiana.

Para Maurício Reis, asogbá do Terreiro Ilê Axé Oyá Tolá, que fica na cidade de Candeias, região metropolitana de Salvador, o tombamento deve garantir a preservação dos bens materiais e imateriais, os valores históricos, ambientais, culturais e arquitetônicos, garantindo a manutenção das práticas religiosas realizadas nos terreiros.

“Algo que não vem sendo realizado pelo IPHAN, tampouco pelo IPAC, nos terreiros que alcançaram o tombamento na cidade de Salvador. O que tem colocado em risco a preservação dos espaços”, reclama. O sacerdote da religião afro-brasileira defende que a política de tombamento precisa de avaliação a ser feita pelos religiosos de matriz africana e não por gestores públicos em gabinete, diante da realidade de falta investimentos da União e do Estado na manutenção dos terreiros tombados.

Queremos transformar nossos terreiros em pontos de cultura”
Erivaldo Oliveira

“Vale destacar que na cidade de Salvador houve o primeiro tombamento pelo município em 2016, o Terreiro Hunkpame Savalu Vodun Zo Kwe, no Curuzu, bairro da Liberdade. Mas é algo que ainda não sabemos como a Fundação Gregório de Matos irá tratar após ser tombado. Como iniciativa, é maravilhoso ter o município assumindo essa ação”, pondera Maurício Reis.

Tombamentos
O primeiro terreiro do Brasil tombado pelo IPHAN foi o da Casa Branca, em 1984. Constituído de uma área de aproximadamente 6.800 metros quadrados, com as edificações, árvores e principais objetos sagrados, o templo fica na Avenida Vasco da Gama, em Salvador. Outros sete terreiros foram tombados pelo órgão federal na Bahia: Ilê Axé Opô Afonjá (1999), Ilê Iyá Omim Axé Iyamassé – Gantois (2002), Terreiro do Alaketo, Ilê Maroiá Láji (2004), Terreiro de Candomblé do Bate-Folha (2003), Ilê Axé Oxumaré (2013), todos em Salvador; e OMO Ilê Agbôulá (2015), em Itaparica, e Terreiro Zogbodo Malê Bogun Seja Unde – Roça do Ventura (2014), em Cachoeira.

Terreiro da Casa Branca, em Salvador, foi o primeiro a ser tombado pelo IPHAN, em 1984 (Foto: Egi Santana/G1)Terreiro da Casa Branca, em Salvador, foi o primeiro a ser tombado pelo IPHAN, em 1984 (Foto: Egi Santana/G1)

De acordo com o IPHAN, o tombamento é uma ação de reconhecimento de um bem como parte do Patrimônio Cultural Brasileiro, ou seja, é um reconhecimento do Estado de que este bem tem relevância nacional. Segundo o órgão, a partir do tombamento, e como consequência dele, o Iphan passa a ter responsabilidade no acompanhamento da preservação do bem. Contudo, a responsabilidade pela conservação continua sendo dos proprietários. Desse modo, o IPHAN passa a apoiar ações de conservação, além de ter a obrigação de fiscalizar se o bem continua preservado.

É uma cultura que resiste, que sabe resistir. Vamos fazer o que puder para preservar”
Erivaldo Oliveira

Para o IPAC, ao ser tombado, o imóvel passa a ter prioridade nas linhas de financiamento público para projetos arquitetônicos, obras e restaurações prediais, sejam elas Municipais, Estaduais, Federais ou até Internacionais. Na Bahia, por exemplo, existem editais que destinam verbas a projetos de terreiros.

Atualmente, existem 19 terreiros de candomblé tombados pelo Estado da Bahia através do IPAC. São eles: Ilê Axé Alabaxé, em Maragogipe; Rumpane Ayono Rontólogi e Zogbodo Male Bogum Seja Unde, em Cachoeira; São Jorge Filho da Goméia, Ilê Axé Ajagunã, Ilê Axé Opô Aganju, em Lauro de Freitas; e, Ilê Axé Oxumarê, Pilão de Prata, Ilê Aché Ibá Ogum, Ilê Asipá, Ilê Axé Kalé Bokum, Mokambo Onzo Nguzo Za Nkisi Dandalunda Ye Tempo, Tumba Junçara, Terreiro da Casa Branca, Terreiro do Bate Folha, Terreiro do Gantois, Ilê Axé Opô Afonjá e Terreiro do Alaketo, em Salvador. O IPAC também afirma que o tombamento não retira a propriedade e as obrigações do proprietário com o imóvel.

Apesar dos tombamentos, responsabilidade pela conservação do patrimônio é da comunidade do terreiro (Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)Apesar dos tombamentos, responsabilidade pela
conservação do patrimônio é da comunidade
(Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)

Já pela Fundação Gregórgio de Matos, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Cultura (Sedes) da Prefeitura de Salvador, foi tombado, até o momento, pela Lei Municipal 8.550/2014, apenas o Terreiro Hunkpame Savalu Vodun Zo Kwe, por meio do Decreto n.º 27.006, de 11.01.2016.

De acordo com a Fundação, está em processo de tombamento, contando com tombamento provisório, o Terreiro Ilê Axé Kalé Bokun, e foram encaminhados outros dois pedidos de tombamento dos terreiros Mokambo e Aloyá, que ainda estão em análise.

“O tombamento é de suma importância porque tenho visitado muitos terreiros e estou vendo que a cultura está morrendo. Vi uma comunidade quilombola que tem uma Assembleia de Deus, mas não tem nenhuma menção à religião de matriz africana”, afirma Erivaldo Oliveira, da Fundação Palmares.

Segundo ele, o pedido de tombamento tem que partir do próprio terreiro e, a partir daí, é iniciado o processo de reconhecimento. “Vamos fazer o mapeamento dos terreiros em Brasília. Depois, vamos começar a traçar políticas públicas para essas comunidades. Queremos contar a história de cada terreiro do Brasil e para isso nós vamos contar também a história de cada orixá, em vídeos, filmes, livros”, deseja Erivaldo.

Terreiro fica no bairro do Curuzu, em Salvador (Foto: Thamires Tavares/ Divulgação)Primeiro terreiro tombado pelo município de Salvador fica no bairro do Curuzu (Foto: Thamires Tavares/ Divulgação)

Mapeamento dos terreiros
Em Salvador, há o levantamento do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) que lista 1.165 terreiros cadastrados em Salvador e região metropolitana, o que fortalece a cultura dos terreiros. Maurício Reis, asogbá do Terreiro Ilê Axé Oyá Tolá, em Candeias, foi contemplado em um edital do governo do estado com o projeto “Mapeamento dos Terreiro de Religiões de Matriz Africana em Candeias-BA”, que tem início em janeiro de 2017.

Esse mapeamento pretende disseminar informações sobre os terreiros de candomblé”
Maurício Reis

“O mapeamento alcançará nessa primeira fase 60 terreiros, tendo como base algumas técnicas utilizadas no mapeamento realizado pelo CEAO e a Secretaria Municipal da Reparação, em Salvador (2006). No entanto, sua publicação será com o lançamento Portal Espaços Sagrados, onde terá: memória dos terreiros; área georreferenciada; registro fotográfico do espaço; e localização”, explica o sacerdote.

Segundo ele, o objetivo do portal é dar maior conhecimento sobre a religião de matriz africana no município e criar possibilidades efetivas de ações articuladas para fortalecimento da relação entres os terreiros no âmbito da cultura, empreendedorismo, preservação e conservação dos ambientes naturais.

“Esse mapeamento pretende disseminar informações sobre os terreiros de candomblé de Candeias, através do Portal Espaço Sagrado, com registro fotográfico, georreferenciamento, memorial histórico, levantando as potencialidades e desafios, pensando numa perspectiva de fortalecimento dos terreiros para preservação e conservação da cultura negra”, enumera.

“Considerando ainda que a Gestão Pública municipal, estadual e federal, reconheça a existências destes: quantos são, ondes estão, e suas potencialidades e desafios, para fortalecimento das religiões de matriz africana no Estado e no Brasil”, completa. Para Erivaldo Oliveira, é preciso também acabar com o preconceito em relação ao candomblé mostrando conhecimento e ocupando espaços. “Que as pessoas comecem a enxergar a nossa cultura com outro olhar, com outra visão. É uma cultura que resiste, que sabe resistir. Vamos fazer o que puder para preservar”, conclui.

Terreiro Ilê Asé Oyá Tolá, que será mapeado em 2017, fica na cidade de Candeias (Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)Terreiro Ilê Asé Oyá Tolá, que será mapeado em 2017, fica na cidade de Candeias (Foto: Andréa Montenegro/Arquivo pessoal)

VIDEO MANDADO PARA O ZAP POÇÕES24HORAS AUMENTA SUSPEITA DE HELICÓPTERO DA POLICIA RIO PODE TER SIDO DERRUBADO ONDE 4 POLICIAIS PERDERAM A VIDA

Share Button