Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Daily Archives: 27/11/2016

Poções Bahia- Assalto no bairro indaiá.

Share Button
(Imagem meramente ilustrativa)

(Imagem meramente ilustrativa)

Nesta tarde de domingo 27/11/2016 na Rua Conde Pereira, 04-Indaiá- Poções Bahia.  Foi furtada uma moto Honda/CG 125 Fan com a placa: HCB3998  do ano de 2005. A descrição fornecida foi: tanque vermelho mais estaria com a capa preta e demais partes pretas. Se alguém tentar lhe vender ou Caso veja uma moto nessa descrição ligar para a policia militar, que ajudara recuperar a moto , e prender o meliante.

Queda de receita influencia pagamento do funcionalismo público em nove Estados

Share Button
Queda de receita influencia pagamento do funcionalismo público em nove Estados

Foto: Reprodução / Metro
A crise financeira que afeta os Estados levou os governos a adotar medidas que afetaram o pagamento de servidores em pelo menos nove unidades da federação. De acordo com informação do portal Uol, entre as medidas adotadas pera amenizar a crise estão demissões; atrasos, escalonamentos ou parcelamentos em salários; redução de vencimentos do primeiro escalão e a falta de reposição anual da inflação. Os governos de estados onde a situação é mais grave, como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, que já alegaram falência, decretaram estado de calamidade pública após cortes de gastos e atrasos em salários. Ainda segundo a publicação , Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Espírito Santo, Tocantins, Paraná, Pará, Alagoas, Amazonas, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Acre, São Paulo e Pernambuco, além do Distrito Federal, mantiveram o calendário de pagamento, embora alguns deles enfrentem alguma dificuldade ou estejam  implementando medidas de controle de gastos.

Grupos pró-impeachment de Dilma Rousseff ameaçam organizar atos contra Temer

Share Button
Grupos pró-impeachment de Dilma Rousseff ameaçam organizar atos contra TemerFoto: Reprodução / Agron
Menos de três meses após o impeachment de Dilma Rousseff, grupos responsáveis pelas manifestações de rua ameaçam agora pedir a saída de Michel Temer caso ele sancione um eventual projeto de anistia ao caixa 2. “Vem Pra Rua”, “Movimento Brasil Livre” e “Nas Ruas” acusam o Planalto de condescendência com parlamentares que tentam descaracterizar o pacote anticorrupção em discussão na Câmara. Os grupos se reunirão em um protesto pela primeira vez desde a destituição da petista no próximo dia 4, na Avenida Paulista, e o tema principal é o combate a uma eventual anistia. O desgaste de Temer foi ampliado após as denúncias feitas pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que levaram à queda de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo. “A nossa palavra de ordem vai depender de como Temer agir. Se passar na Câmara a anistia e ela for sancionada, vamos então pedir o Fora, Temer”, disse Carla Zambelli, líder dos Nas Ruas e uma das porta-vozes do Convergência, que reúne 40 movimentos em diferentes Estados. Após a repercussão negativa da articulação na Câmara, aliados de Temer passaram a divulgar que o presidente vetará qualquer proposta de anistia que chegue ao Palácio do Planalto. Até então, o presidente vinha dizendo que respeita decisões do Congresso e chegou a sinalizar, em entrevista, que sancionaria o texto. O Vem Pra Rua lançou nas redes sociais a hashtag #vetatemer e se aproximou do PSOL, partido de esquerda que combateu o impeachment de Dilma. “Vamos apoiar fortemente ações como a do deputado Ivan Valente, do PSOL, que está pressionando para que a votação seja nominal. Estamos abertos para conversar com qualquer partido alinhado com a nossa causa. Por isso vamos parabenizá-lo”, disse Rogério Chequer, porta-voz do grupo. Reduto de políticos tucanos e da antiga oposição, o “Vem Pra Rua” tem sido enfático. “Não vi o Temer se posicionar contra isso (anistia ao caixa 2). Gostaria de ouvir. Estamos de olho no Temer e no (deputado) André Moura (PSC-SE, líder do governo na Câmara). Estamos juntando evidências”, afirmou Chequer. Segundo o ativista, o presidente terá uma dura decisão nas mãos. “Temer vai ter que escolher se éà favor dos políticos corruptos ou está ao lado da sociedade”. Além do veto, porém, para não arcar com o ônus o presidente precisará articular sua base para que a decisão não seja derrubada na Câmara posteriormente.

Em entrevista, Garotinho diz que pode ‘derrubar muita gente poderosa’

Share Button
Em entrevista, Garotinho diz que pode ‘derrubar muita gente poderosa'

Foto: Divulgação / SBT
A edição deste domingo (27) do programa “Conexão Repórter”, apresentado pelo jornalista Roberto Cabrini, no SBT, traz uma entrevista exclusiva com o ex-Governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho. “Sou um homem-bomba e posso derrubar muita gente poderosa”, ameaçou o político. De acordo com informações do colunista do portal Uol, Flávio Ricco, Garotinho também declarou que não pretende fazer julgamento do juiz que decretou sua prisão, mas que acrescentou que “ele vai responder pelo que fez” e que  sabe quem está por trás do pedido. Essa é a primeira entrevista do ex-governador após nove dias na prisão, suspeito de usar o programa social Cheque Cidadão para comprar votos nas eleições de Campos dos Goytacazes

Temer, Renan e Maia anunciam acordo entre poderes para evitar anistia ao caixa 2

Share Button
Temer, Renan e Maia anunciam acordo entre poderes para evitar anistia ao caixa 2Foto: Reprodução / Luciana Amaral / G1
Em entrevista coletiva realizada neste domingo (27), o presidente Michel Temer e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Renan Calheiros, anunciaram um acordo entre os poderes executivo e legislativo para evitar que a anistia explícita ao caixa 2 em campanhas eleitorais seja incluída no projeto que trata das dez medidas contra a corrupção. Na ocasião Temer recordou que ele, Maia e Renan sempre consideraram a demanda proposta desde as manifestações de junho de 2013 legítimas, discordando somente da questão da depredação. Para o presidente, esse momento resulta de um processo de observação das manifestações de rua, e afirmou o governo vai atendê-la, mas tendo em vista que o primeiro passo, no caso, é do Congresso. “O poder é do povo e quando o povo se manifesta, essa responsabilidade precisa ser tomada pelos poderes executivo e legislativo”, afirmou. Em seu discurso, Maia afirma que houve uma “falha de comunicação” na questão, e negou a existência de uma tentativa de anistiar para os crimes eleitorais. “Não aconteceu e não acontecerá na votação que acontecerá na próxima terça-feira. Essa emenda da anistia nunca existiu regimentalmente, uma vez que nenhum parlamentar ou líder colocou o assunto em pauta”, explicou. Por fim, Calheiros salientou que Câmara e Senado concordam que a matéria “não deve tramitar”, pois não é prioridade. Para Renan, as matérias econômicas são prioritárias, e devem ser votadas para acelerar a retomada do

Subsecretária de São Gonçalo recebia R$ 9,2 mil mensais sem trabalhar

Share Button

Funcionários do alto escalão da pasta confirmaram que ela nunca foi até lá. Mas as folhas de ponto aparecem’, diz promotora de Justiça Renata Nemehttps://static.noticiasaominuto.com.br/stockimages/1370x587/

A subsecretária de Fiscalização e Licenciamento da Prefeitura de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, Andréa Pinto Costa, recebia mensais de R$ 9.200, mas nunca apareceu no local de trabalho. O Ministério Público apresentou uma denúncia contra ela à Justiça, de acordo com matéria publicada pelo Extra.

PUB
“Chegamos até esse caso durante a apuração de uma denúncia de deficiências estruturais na Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Problemas que vinham atrapalhando o trabalho de fiscalização e licenciamento na cidade” explica a promotora de Justiça Renata Neme, da promotoria de Meio Ambiente de São Gonçalo. “Funcionários do alto escalão da pasta confirmaram que ela nunca foi até lá. Mas as folhas de ponto aparecem”, concluiu.

Conforme denúncia, “somente em 2015 a pseudo subsecretária recebeu um total de R$ 82.800, e no corrente ano de 2016, até esta data, a mesma percebeu quantia de R$ 92.000, perfazendo um total de R$ 174.800 (…) Isso sem ter desempenhado a sua função por sequer um dia”.

A subsecretária municipal foi nomeada no dia 31 de março de 2015. O relatório de ponto informa que a funcionária teve frequência integral naquele ano.

Leia também: 13,1 mil servidores recebem salários acima do teto permitido por lei

#CALARJAMAIS: CAMPANHA DENUNCIA VIOLAÇÕES À LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Share Button

Para Expressar a Liberdade

A liberdade de expressão é um direito fundamental, base de toda sociedade democrática. Não à toa, em tempos de avanço do conservadorismo e de ruptura democrática em nosso país, as violações à liberdade de expressão têm se intensificado. Da repressão aos protestos de rua à censura privada ou judicial a conteúdo nas redes sociais, passando pela violência contra comunicadores, pelo desmonte da comunicação pública e pelo cerceamento de vozes dissonantes dentro das redações, nossa diversidade de ideias, opiniões e pensamentos tem sido sistematicamente calada.

Para chamar a atenção da sociedade para a seriedade de tais violações, o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, em parceria com diversas organizações da sociedade civil, lança a campanha “Calar jamais!”. Por meio desta plataforma, queremos receber denúncias de violações que ocorram em todo o país e dar maior visibilidade a esse problema.

Se solicitado, as informações sobre os denunciantes ficarão anônimas. Um grupo de especialistas e organizações que trabalham com o tema da liberdade de expressão analisarão os casos recebidos e, confirmada a violação, as informações serão divulgadas. O FNDC não dispõe de estrutura para acompanhar os casos individualmente, prestando assistência jurídica às vítimas de violações. Mas a campanha encaminhará as denúncias confirmadas para todas as autoridades competentes – dentro e fora do Brasil – dando ampla divulgação aos casos.

Contamos com a sua participação para divulgar a campanha “Calar jamais!” e, principalmente, para denunciar as violações em curso. Participe aqui: http://www.paraexpressaraliberdade.org.br/fndc-lanca-campanha-calar-jamais/