Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Daily Archives: 07/01/2017

PLANTÃO POLICIAL DIA 7/01/17 POÇÕES24HS-79-CIPM

Share Button

[POÇOES24HORAS]

[POÇOES24HORAS]

Porte ilegal de arma de fogo
Local povoado da Boa Esperança
Horário: 17h30min

Autor: juraci Gomes Teixeira
53anos
16/05/63
Povoado da Boa Esperança
Vítima: Inocêncio Silva Freire,76 anos
End: povoado Boa Esperança
Data de Nascimento: 22/05/40

O conduzido estava no povoado citado com um revólver calibre 38 e com 12 munições ameaçando a vítima dizendo que iria matá-lo; a guarnição foi solicitada deslocou até local do ocorrido e lá fez rondas e localizou o indivíduo com a arma na citura; a guarnição deslocou para o Disep; Mais informações depois da apresentação do indivíduo ao Delegado de plantão!

Sucuri de mais de dois metros é achada em tanque de residência Animal foi apreendido por homens da Guarda Municipal de Salvador. Jiboia de 1,5m estava na varanda de uma casa no bairro do Stiep.

Share Button
Sucuri de mais de dois metros é achada em tanque de residência (Foto: Divulgação/Guarda Municipal)Apreensão foi feita por guardas municipais em Salvador (Foto: Divulgação/Guarda Municipal)

Uma cobra sucuri, com mais de dois metros de comprimento, foi resgatada dentro de um tanque de água na laje de uma casa, no bairro de Luiz Anselmo, em Salvador. A retirada do animal foi feita por guardas municipais na sexta-feira (6).

Ouriço negro apreendido pela guarda municipal em Salvador (Foto: Divulgação/Guarda Municipal)Ouriço negro apreendido pela guarda municipal em
Salvador (Foto: Divulgação/Guarda Municipal)

De acordo com o órgão, no mesmo dia também foi resgatada uma cobra jiboia com aproximadamente um metro e meio, na varanda de uma casa no bairro do Stiep.

Ainda na sexta, foram resgatados também um ouriço negro, animal em extinção, que estava em um quintal, no bairro de Fazenda Grande I, além de um pássaro socó, que estava ferido, encontrado por um morador da Praça Dois de Julho, no bairro do Uruguai.

O órgão não informou para onde os animais foram encaminhados.

Todos eles foram resgatados após populares entrar em contato com a Guarda Civil Municipal de Salvador através do telefone (71) 3202-5312.

Cobra é resgatada pela guarda municipal em Salvador (Foto: Divulgação/Guarda Municipal)Cobra é resgatada pela guarda municipal em Salvador (Foto: Divulgação/Guarda Municipal)

SE ENCONTRA DOCUMENTOS DE DUAS PESSOAS NO COMANDO 79-CIPM -UM CARTÃO DE BANCO NOME RAULINA MARIA DE JESUS] UMA HABILITAÇÃO NOME ANOVALDO SOUSA E UM DOCUMENTE DE UMA MOTOS OS DONOS RETIRAREM NA 79-CIPM CENTRO POÇÕES-BA

Share Button
[FOTOPOÇOES24HS]

[FOTOPOÇOES24HS]

campeão,da copa do 79-cipm foi decidido na manhã desta sexta feira (06)na ADECAP, a final entre as equipes do pelotão De mirante e a peto, aonde mirante foi campeão vencendo por 2x1_consagrando

Share Button

[TIME CAMPEÃO MIRANTE FOTO REPÓRTER EDILSON SILVA]

[TIME CAMPEÃO MIRANTE FOTO REPÓRTER EDILSON SILVA]

[SEGUNDO COLOCADO PETO FOTO REPÓRTER EDILSOM SILVA]

[SEGUNDO COLOCADO PETO FOTO REPÓRTER EDILSOM SILVA]

COMO O GOVERNO OTTO ENTREGOU O CAIXA DO MUNICÍPIO E ÚTIMAS MEDIDAS TOMADAS PARA FINALIZAR O EXERCÍCIO

Share Button

Resultado de imagem para CNMNOTA TÉCNICA CNM Nº 31/2016
Brasília, 15 de dezembro de 2016.
ÁREA: Contabilidade Pública
TÍTULO: Encerramento de Exercício de Mandato de 2016
REFERÊNCIA (S): Lei Complementar 101/2000 – Lei de Responsabilidade Fiscal
Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público – MCASP
Livro do Prefeito – Coletânea CNM – Novos Gestores
Último Ano de Mandato – 2016 – CNM
Considerando que em 31 de dezembro de 2016 se dará o encerramento dos mandatos dos
prefeitos e vereadores, demandando a observância da legislação em vigor para a elaboração
das respectivas prestações de contas;
Considerando que a Lei de Responsabilidade Fiscal impõe um conjunto de limites e restrições
no último ano de mandato;
Considerando que com o advento do processo de convergência aos padrões internacionais,
novos procedimentos contábeis patrimoniais têm sido adotados no âmbito da contabilidade
pública Municipal;
Considerando que alguns Municípios brasileiros já introduziram parte dos novos
procedimentos contábeis em sua rotina, e que outros procedimentos contábeis devem ser
introduzidos no decorrer do mandato dos novos governantes e legisladores;
Esclarecemos:
CUMPRIMENTO DOS LIMITES ESTABELECIDOS PELA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL
I – Devem ser avaliados se todos os limites estabelecidos pela LRF foram observados no
decorrer do ano de 2016, a saber:
a) Metas bimestrais de arrecadação: se as receitas previstas foram desdobradas,
pelo Poder Executivo, em metas bimestrais de arrecadação;
b) Metas de despesa: se todas as despesas da mesma espécie, realizadas e a
realizar, previstas no programa de trabalho, não ultrapassaram os limites
estabelecidos para o exercício;
c) Metas de resultado primário e nominal: se ao final de um bimestre a realização
da receita comportou o cumprimento das metas de resultado primário ou
nominal estabelecidas no Anexo de Metas Fiscais;
d) Limites de endividamento: se os limites e condições de endividamento
guardaram coerência com as normas estabelecidas pela LRF e com os objetivos
da política fiscal;                                                                                                                                                                                                                                                                  e) Despesas nos dois últimos quadrimestres: se o titular de Poder ou órgão, nos
últimos dois quadrimestres do seu mandato, não contraiu obrigação de despesa
que não pudesse ser cumprida integralmente dentro dele, ou que tenha
parcelas a serem pagas no exercício seguinte sem que haja suficiente
disponibilidade de caixa para este efeito;
f) Despesas com pessoal: se a despesa total com pessoal do Município não
excedeu o limite de 60% da receita corrente líquida, sendo até 6% para o Poder
Legislativo e até 54% para o Poder Executivo;
g) Prazos para emissão de relatórios: se foram cumpridos os prazos para emissão
dos relatórios exigidos pela LRF.
II – No caso das metas bimestrais de arrecadação, caso em algum bimestre de 2016 a
arrecadação da receita tenha sido menor que a meta estabelecida, verificar se foi imposta a
redução nos mesmos índices e adotadas medidas para que as receitas tenham sido
arrecadadas: combate à evasão e à sonegação, ações ajuizadas para cobrança da dívida
ativa, bem como da evolução do montante dos créditos tributários passíveis de cobrança
administrativa.
III – Sobre as metas de despesa (art. 9º da LRF), caso ao final de algum bimestre a
realização da receita não tiver comportado o cumprimento das metas de resultado primário ou
nominal estabelecidas no Anexo de Metas Fiscais, verificar se os Poderes e o Ministério Público
promoveram, por ato próprio e nos montantes necessários, nos trinta dias subsequentes,
limitação de empenho e movimentação financeira, segundo os critérios fixados pela lei de
diretrizes orçamentárias.
IV – Sobre as metas de resultado primário e nominal, caso alguma das metas
estabelecidas não tenha sido cumprida, verificar se foi justificado o descumprimento e
estabelecido o prazo e os mecanismos que foram adotados para efetivar o seu cumprimento,
tais como: limitação de empenho e de movimentação financeira, redução da despesa para
compensar a queda da receita e a correta execução do orçamento, no prazo de 30 dias após o
encerramento do bimestre em que o desequilíbrio tenha sido verificado.
V – No caso da assunção de obrigação de despesa nos dois últimos quadrimestres do
exercício registre-se que não é possível anular empenho cuja despesa já tenha sido
liquidada (bem ou serviço entregue).
AÇÕES PROIBIDAS PELA LRF NO ÚLTIMO ANO DE MANDATO
VI – As seguintes ações não podem ser efetuadas pelo gestor em seu último ano de mandato:
a) Realizar operações de crédito por Antecipação da Receita Orçamentária – ARO (art. 38,
IV, “b”);
b) Editar ato que resulte em aumento de despesa com pessoal nos últimos 180 dias do
mandato (art. 21, parágrafo único);
c) Receber transferências voluntárias, obter garantias e contratar operações de crédito
(caso a despesa total com pessoal exceda o limite fixado no primeiro quadrimestre do
ano, art. 23, §4º);
d) Contrair obrigação de despesa que não possa ser paga no exercício, a não ser que haja
disponibilidade de caixa para pagamento).                                                                                                                                                                                                             VII – Registre-se que os gestores não estão impedidos de celebrar contratos nos oito
últimos meses de sua gestão, desde que possuam disponibilidade de caixa para o efetivo
pagamento destes dentro do exercício financeiro. Também não há impedimento para a
assunção de compromissos cuja duração seja superior a um exercício financeiro, desde que
previstos no Plano Plurianual, na Lei de Diretrizes Orçamentárias e na Lei Orçamentária Anual,
e ainda que estejam respaldados por programação financeira e fluxos de caixa rigorosamente
elaborados.
RELATÓRIOS PARA TRANSMISSÃO DE CARGO
VIII – As administrações municipais devem verificar em suas leis orgânicas, bem como em
orientações do Tribunal de Contas a que estão jurisdicionados, o rol de relatórios que devem
ser entregues na transmissão de cargo.
RESTOS A PAGAR E RESTOS A RECEBER
IX – A inscrição das despesas em restos a pagar é efetuada no encerramento de cada
exercício de emissão da respectiva nota de empenho. No caso dos restos a pagar
processados, cujos bens e serviços já foram entregues, via de regra, essa inscrição é
automática.
X – No caso de empenho de despesa não liquidada, o mesmo deverá ser anulado antes do
processo de inscrição de restos a pagar, salvo quando:
a) Vigente o prazo para cumprimento da obrigação assumida pelo credor, nele
estabelecida;
b) Vencido o prazo de que trata o item anterior, mas esteja em curso a liquidação da
despesa, ou seja, de interesse do Município exigir o cumprimento da obrigação
assumida pelo credor;
c) Destinado a atender transferências a instituições públicas ou privadas;
d) Corresponder a compromissos assumidos no exterior.
XI – A inscrição dos restos a pagar não processados relacionados no Item X segue o mesmo
trâmite dos restos a pagar processados, sendo recomendado apenas que o registro seja
efetuado em conta contábil distinta para um melhor controle por parte do gestor municipal.
XII – Não podem ser inscritos em restos a pagar não processados os empenhos
referentes a despesas com diárias, ajuda de custo e suprimento de fundos, pois essas
despesas serão consideradas liquidadas no momento da autorização formal do instrumento de
concessão.
XIII – Diferentemente dos demais exercícios financeiros, nos quais as despesas empenhadas e
não pagas até o dia 31 de dezembro são normalmente inscritas em restos a pagar, no final do
mês de encerramento do mandato o montante de inscrição estará limitado à
existência de efetiva disponibilidade de recursos financeiros para o pagamento
dessas despesas no novo exercício.
XIV – Para verificação do limite das disponibilidades financeiras, observadas as respectivas
vinculações para inscrição em Restos a Pagar, serão considerados os seguintes procedimentos
(por recurso vinculado):                                                                                                                                                                                                                                                   Disponibilidade de Caixa
(-) Restos a Pagar Processados de Exercícios Anteriores
(-) Restos a Pagar do Exercício
(=) Valor da Disponibilidade Financeira
XV – No caso de transferências voluntárias, quando houver cláusula contratual garantindo a
transferência de recursos após o cumprimento de determinadas etapas do contrato, o Ente
beneficiário – no momento em que já tiver direito à parcela dos recursos e enquanto não
ocorrer o efetivo recebimento a que tem direito, poderá registrar um direito a receber em
contas de Ativo.
XVI – Destaca-se que o registro do direito a receber em contas do Ativo relacionado no Item
XV não impacta o superávit financeiro, pois ainda se encontra pendente o registro da receita
orçamentária para que esse recurso possa ser utilizado.
CONTABILIZAÇÃO DAS TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS
XVII – A contabilidade municipal deve manter processo de registro apto para sustentar o
dispositivo legal do regime orçamentário de forma a atender todas as demandas de
informações da execução orçamentária previstas na Lei 4.320/1964 (visão orçamentária) e,
concomitantemente, observar os fundamentos da doutrina contábil (visão patrimonial),
contemplados nas Normas do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e nos Manuais da
Secretaria do Tesouro Nacional (STN).
XVIII – Na visão patrimonial, para que seja evidenciado o impacto no patrimônio, a transação
governamental (variação patrimonial ativa ou variação patrimonial passiva) deve ser
reconhecida no momento da ocorrência do fato gerador. Na visão orçamentária, por outro
lado, a receita orçamentária será reconhecida no momento da arrecadação e a despesa
orçamentária, no momento do empenho, em conformidade com o art. 35 da Lei 4.320/1964.
XIX – Portanto, nada muda quanto aos registros para a contabilização das transferências
constitucionais e legais, conforme exemplo apresentado a seguir:
a) Em dezembro de 2016: reconhecimento no Ente recebedor (Município) do direito a
receber relativo ao FPM do último decêndio de 2016, no sistema patrimonial, cujo valor só
ingressará nos cofres municipais em janeiro de 2017. Destaca-se que o valor registrado como
“Créditos Tributários a Receber” não tem caráter financeiro, portanto não deve ser
considerado na apuração do superávit financeiro da Entidade em 2016 (art. 43 da Lei
4.320/1964). Por essa razão, deverá ser registrado com o atributo (P) de Permanente,
indicando que se trata de um Ativo sem execução orçamentária.
Exemplo: contabilização da última parcela do FPM, no valor estimado de R$ 1.200.000,00, em
dezembro de 2016:
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Ativo – Créditos Tributários a Receber (P) Patrimonial 1.200.000,00
C – Variação Ativa – Transferências Constitucionais e Legais 1.200.000,00
b) Recebimento em janeiro de 2017 pelo exato valor do direito registrado:
reconhecimento do efetivo ingresso do recurso nos cofres municipais, procedendo a baixa do
direito a receber no sistema patrimonial e o respectivo ingresso do recurso, o registro da
receita orçamentária e o respectivo controle de disponibilidade. Observe que o atributo (F)                                                                                                        que acompanha a conta de caixa e equivalente de caixa indica que a mesma deve ser utilizada
na apuração do superávit financeiro da entidade em 2016 (art. 43 da Lei nº 4.320/1964).
Exemplo: recebimento da última parcela do FPM de 2016, no valor de R$ 1.200.000,00, em
janeiro de 2017:
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Ativo – Caixa e Equivalente de Caixa (F) Patrimonial 1.200.000,00
C – Ativo – Créditos Tributários a Receber (P) 1.200.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Receita Realizada Orçamentária 1.200.000,00
C – Receita a Realizar 1.200.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Controle de Disponibilidade de Recursos Controle 1.200.000,00
C – Disponibilidade por Destinação de Recursos – DDR 1.200.000,00
XX – É importante ressaltar que, dependendo do posicionamento do Tribunal de Contas, o
registro do direito a receber do ponto de vista patrimonial não pode ser utilizado
para a cobertura de restos a pagar inscritos no exercício de 2016, e nem pode ser
utilizado para abertura de créditos adicionais, tendo em vista que a Lei 4.320/64 só considera
como orçamentária a receita efetivamente arrecadada no exercício. Portanto, o Tribunal de
Contas onde o Município encontra-se jurisdicionado deve ser consultado quando houver o
registro desses valores, prevalecendo o seu entendimento sobre o tema.
XXI – Caso o registro tenha sido feito com base em estimativa diferente do valor efetivamente
recebido, com relação às transferências constitucionais e legais, o Município deverá proceder o
referido ajuste.
a) Ajuste de valor estimado a maior: exemplo – recebimento em janeiro de 2017 da
última parcela do FPM de 2016 no valor de R$ 1.500.000,00, mas registrado
patrimonialmente em R$ 1.200.000,00, em dezembro de 2016:
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Ativo – Caixa e Equivalente de Caixa (F) Patrimonial 1.500.000,00
C – Ativo – Créditos Tributários a Receber (P) 1.200.000,00
C – Patrimônio Líquido – Ajuste de Exercícios Anteriores –
Transferências Constitucionais e Legais
300.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Receita Realizada Orçamentária 1.500.000,00
C – Receita a Realizar 1.500.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Controle de Disponibilidade de Recursos Controle 1.500.000,00
C – Disponibilidade por Destinação de Recursos – DDR 1.500.000,00
b) Ajuste de valor estimado a menor: exemplo: recebimento em janeiro de 2017 da última
parcela do FPM de 2016 no valor de R$ 1.000.000,00, mas registrado patrimonialmente em
R$ 1.200.000,00 em dezembro de 2016:

ítulo da Conta Natureza da Informação Valor
D – Patrimônio Líquido – Ajuste de Exercícios Anteriores –
Transferências Constitucionais e Legais
Patrimonial 200.000,00
D – Ativo – Caixa e Equivalente de Caixa (F) 1.000.000,00
C – Ativo – Créditos Tributários a Receber (P) 1.200.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Receita Realizada Orçamentária 1.000.000,00
C – Receita a Realizar 1.000.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Controle de Disponibilidade de Recursos Controle 1.000.000,00
C – Disponibilidade por Destinação de Recursos – DDR 1.000.000,00
CONTABILIZAÇÃO DE CONVÊNIOS ASSINADOS, MAS NÃO REPASSADOS EM 2016
XXII – Como o MCASP já prevê o registro por competência do direito a receber, no momento
em que o convênio é assinado (fato gerador) é criada a expectativa de um direito, de
natureza patrimonial, devendo esse registro acompanhar o atributo (P).
Exemplo: assinatura de convênio de R$ 640.000,00 no exercício de 2016, com expectativa de
ingresso de valores somente no exercício de 2017.
a) Reconhecimento no Ente convenente (Município) do direito a receber em dezembro de
2016 para recebimento em 2017:
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Ativo – Créditos de Transferências a Receber (P) Patrimonial 640.000,00
C – Variação Patrimonial Aumentativa – Convênios 640.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Controle de Direitos Conveniados Controle 640.000,00
C – Controle de Convênios a Receber 640.000,00

b) Registro do ingresso dos valores no convenente (Município) em 2017:
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Caixa e Equivalente de Caixa (F) Patrimonial 640.000,00
C – Ativo – Créditos de Transferências a Receber (P) 640.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Receita Realizada Orçamentária 640.000,00
C – Receita a Realizar 640.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Controle de Disponibilidade de Recursos Controle 640.000,00
C – Disponibilidade por Destinação de Recursos – DDR 640.000,00
Título da Conta Natureza da Informação Valor
D – Controle de Convênios a Receber Controle 640.000,00
C – Controle de Convênios Recebidos 640.000,00
XXIII – Destaca-se que mesmo que os valores registrados a título de “restos a receber” no
âmbito do Município não sejam passíveis de serem utilizados para a cobertura de restos a                                                                                                            pagar, podem contribuir para a elaboração de notas explicativas às demonstrações
contábeis, esclarecendo sobre eventuais insuficiências de recursos para cobertura dos restos a
pagar inscritos no exercício financeiro.
Contabilidade Pública
contabilidade.municipal@cnm.org.br
(61) 2101-6070

Time argentino desiste de viagem após pane elétrica em avião

Share Button

No momento em que se preparava para decolar do aeroporto de Córdoba, cidade do clube, o avião sofreu dois apagões

© Twitter Belgrano

Os jogadores do Belgrano tiveram um susto neste sábado (7) antes de embarcar para uma viagem para o Chile, na preparação da equipe para a temporada. O problema foi uma pane elétrica no avião que levava a delegação.

No momento em que se preparava para decolar do aeroporto de Córdoba, cidade do clube, o avião sofreu dois apagões.

Segundo relato de um dos jogadores, o avião ficou totalmente sem eletricidade e as turbinas desligaram. Depois de um pequeno ajuste, a eletricidade voltou. Minutos depois, quando o avião já se movimentava para decolar, um novo apagão atingiu a aeronave.

Em nota oficial, o Belgrano informou que a diretoria do time decidiu cancelar a viagem da última sexta-feira devido ao problema. O clube ainda confirmou a pane elétrica sofrida na aeronave da Sky Airline.

Depois de um longo tempo sem explicação, a delegação chegou a ser informada da avaria que estava resolvida. Mas, a apreensão fez com que os dirigentes decidissem desistir do voo.

“Foi decidido o desembarque da delegação e ficar em Córdoba para garantir a integridade física e psicológica de nossos jogadores, treinadores e colaboradores”, disse o clube.

 

Filha do senador Renan Calheiros indo para praia com avião da FAB, pago com nosso dinheiro, o Brasil não tolera mais esse tipo de comportamento

Share Button

Moradores de Barra do Choça se unem pela manutenção da Guarda Municipal. Movimento será segunda-feira, 09/01, à 13:00 hrs

Share Button

A imagem pode conter: textoMoradores do município se uniram num movimento em prol da Guarda Civil Municipal de Barra do Choça. É grande a movimentação nos grupos de whatssap e nas Redes sociais, conclamando as pessoas a participarem da movimentação  pela manutenção da Guarda Municipal.

Belo Horizonte: Jovem espalha fotos da ex-namorada nua e é morto pelo pai da garota

Share Button

https://2.bp.blogspot.com/-LK5RjEQHFeA/WG_MDbznjzI/AAAAAAABnpY/S-JTsf9NqhU6OCD2spry-ZdnUJU2dnZqgCLcB/s280/Um jovem de 23 anos suspeito de espalhar fotos da ex-namorada nua no WhatsApp foi morto pelo pai da garota. O caso aconteceu em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (5). De acordo com o jornal o Tempo, as imagens foram parar na rede social como forma de vingança após a menina de 18 anos se recusar a reatar o namoro.
Ao descobrir as imagens da filha, o pai, que também é tio do rapaz, foi até a casa da vítima para tirar satisfações. A tia do jovem chegou a se recusar a abrir a porta, mas o rapaz decidiu encarar o ex-sogro e acabou atingido por golpes de faca. Ele chegou a correr para dentro da casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O suspeito de ter praticado o crime fugiu.

“Há quatro meses eles terminaram porque a menina viu que o namoro não tinha futuro. Ela queria progredir na vida, trabalhar e estudar, mas o Johnatan não acompanhava. Desde o fim do namoro, que ele não dava sossego para a garota”, contou Valdete Cortez, tia da vítima e irmã do suspeito.

“Percebi que meu irmão tinha bebido e pedi que o Johnatan não fosse lá, mas ele não me ouviu. Só escutei o ‘Zé’ perguntando: ‘vai continuar infernizando a vida da minha filha?’. Não sei o que o meu sobrinho respondeu, mas, logo depois, o crime aconteceu”, disse a mulher.

Satélite pode cair no Brasil e gerar bola de fogo neste fim de semana.

Share Button

https://3.bp.blogspot.com/-vB4sg4V2rJ8/WHAtZ_W0W4I/AAAAAAABntc/xO9e38dgHaI7edWXI9Q3xX5xz4x5odz9ACLcB/s280/Um fenômeno poderá ser observado nos céus das regiões Norte e Nordeste neste final de semana, na noite de sábado (7) para madrugada de domingo (8). Os satélites artificiais passam décadas na órbita baixa da Terra, a centenas de quilômetros da superfície. Quando essa órbita cai, o atrito e calor gerado faz com que as estruturas do satélite peguem fogo.

Segundo a Revista Galileu, a depender do tamanho do satélite ou do pedaço de lixo espacial, isso gera uma reentrada atmosférica. Geralmente, é uma grande bola de fogo, que costuma se desintegrar e não oferece maiores riscos à população e ao planeta.

A equipe de EXOSS, que reúne astrônomos profissionais e amadores para monitorar meteoros, afirma que o satélite francês Ariane 5 Deb (Sylda), lançado em agosto de 2007 da base de lançamento da ESA na Guiana Francesa, deve fazer a reentrada neste final de semana.

A janela de tempo de quando o fato acontece não é precisa, porque a tecnologia atual não permite dar exatidão ao momento da reentrada, já que existem muitas variáveis. Só é possível cravar com maior precisão o horário e o local em que um satélite queima na atmosfera poucas horas antes do fato.

A previsão atual do grupo de pesquisas Aerospace é de que a reentrada do Ariane 5 Deb ocorra às 20:02 (horário de Brasília) sobre a região da Indonésia, mas por enquanto existe uma variação de 9 horas para mais ou para menos. Pelas margens, é possível que ele caia no Brasil. (Correio24horas)